Ordem Hesicasta do Brasil

Vocação Hesicasta
Monge Hesicasta em Oração

Monge Hesicasta em Oração


English


Na Igreja Católica Ortodoxa Celta temos a Ordem Hesicasta do Brasil, formada por monges e monjas eremitas que unem a espiritualidade hesicasta e dos primeiros eremitas (amor ao silêncio, a oração contínua e a meditação) à espiritualidade celta (valorização da natureza, vida monástica, celibatária ou familiar).


O que é o Hesicasmo?

O Hesicasmo é uma corrente própria da espiritualidade cristã Ortodoxa, cuja história começa com os monges do deserto do Egito e de Gaza. O nome Hesicasmo provém do grego hesychìa que significa: calma, paz, tranquilidade, ausência de preocupação.

O Hesicasmo pode ser definido como um sistema espiritual de orientação essencialmente contemplativa que busca a perfeição (deificação) do homem na união com Deus através da oração incessante do coração. Num documento do mosteiro de Iviron do Monte Athos, lê-se esta definição: "O hesicasta é aquele que só fala com Deus somente e ora sem cessar."

Os monges hesicastas, por meio da invocação do Nome de Jesus e da atenção do coração buscavam o domínio das paixões e de todo o pensamento mal para permanecerem no suave repouso de Deus à escuta da Sua palavra silenciosa. Disse um deles:

"A nós, pequenos e fracos, não nos resta outra coisa senão refugiar-nos no Nome de Jesus".

Os santos monges estabeleceram a fórmula da oração do Nome de Jesus. Eles uniram a profissão de fé Apostólica: "Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus Vivo" (Mt 16:16; Fil 2:9-11), com a súplica do publicano e dos humildes do Evangelho: "Meu Deus, tem piedade de mim, pecador!" (Lc 18:13. 39; Mt 15:22).  Formulando assim, a Invocação Clássica do Nome:

“Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus Vivo, tem piedade de mim, pecador!”

Além dessa formula clássica da invocação do Nome, existem várias formas para se orar o nome de Jesus. Muitos monges rezavam e sugeriam a forma mais simples: "JE-SUS", apenas isso. Pois, não há a necessidade de acréscimos: "O Santo Nome é a oração."  E essa única palavra sagrada facilita a união da oração com a respiração. Os Santos monges do deserto desejosos da incessante comunhão e intimidade com Deus uniram a invocação do Nome de Jesus com o mandamento de "orar sem cessar" (Lc 21:36; 1Ts 5:17 Ef 6:18; Lc 18:1; Ap 4:8), e para isso, no século II, São Pacômio, discípulo de Santo Antão, inspirado por Deus criou o cordão de oração, um rosário de 100 contas, chamado de Komboskini (grego), chotki pela liturgia bizantina.

Esta é, em uma forma exterior, uma oração à segunda pessoa da Trindade... mas as outras duas pessoas também estão presentes, embora não sejam nomeadas. Pois, ao falar de Jesus como ‘Filho de Deus’ apontamos para o Pai; e o Espírito também é incluído em nossa oração, já que ‘ninguém pode dizer Senhor Jesus, exceto o Espírito Santo (1Cor 12:3). A oração de Jesus não é apenas centra em Cristo, mas é trinitária. ”


Komboskini ou Cordão de Oração

“A recordação constante de Deus por meio da repetição continua do Nome de Jesus unida à respiração e atenção no coração, buscando viver em sua presença e renunciando ao mal, são as bases da oração hesicasta ou a Oração do Coração.”


O Hesicasmo viria a se firmar no mosteiro do Sinai, com São João Clímaco. Um expoente máximo é, seguramente, Simeão, o novo Teólogo. Renasceria no Monte Athos no século XIV.

Os grandes mestres da oração hesicasta, que criaram o método e sobretudo a teologia da oração hesicasta, podem ser encontrados entre os séculos XIII e XIV no Monte Athos. Vamos aqui recordar alguns nomes: Gregório, o Sinaíta (+1346), do Mosteiro do Monte Sinai, ele transportou a “oração do coração” para o Monte Athos. Nicéforo, o Hesicasta, de origem calabresa, converteu-se à Ortodoxia e se tornou monge no Monte Athos. Escreveu um pequeno tratado intitulado: “Sobre a Custódia do Coração”, que se tornou um clássico da oração hesicasta. Do século XIV temos um tratado anônimo chamado: "Método da Santa Oração", que é às vezes atribuído a São Simeão, o Novo Teólogo, mas não é verdade que seja dele esta obra. Teolepto, Metropolita de Filadélfia (1250-1345), que formou gerações inteiras de hesicastas. Gregório Palamas (1296-1359), que é considerado o maior teólogo e grande defensor do hesicasmo.


Ícone de São Gregório Palamas, patrono da OHB


Quem são os hesicastas da OHB

O nosso modelo de vida monástica e eremítica está centrado em oratórios e capelas de cada monge em sua casa, na cidade ou no campo. É um estilo de vida eremítica do século XXI, trabalhamos, temos família, usamos nosso hábito em momento de oração e nas celebrações da Divina Eucaristia. Cada casa de nossos irmãos e irmãs é como se fosse a cela de um grande mosteiro. Unidos pela oração, silêncio e caridade, espalhados em todo o Brasil, praticando continuamente a "Oração do Coração" com auxílio de nossos cordões de oração (Komboskini).

Boa parte dos nossos monges são religiosos, que passaram por outras experiências em mosteiros, conventos, congregações e fraternidades, mas não se adequaram aos estilos de vida, muitas vezes não foram respeitados nas suas características de personalidade, orientação sexual e tantos outros fatores, mas não desistiram de buscar uma Ordem que acolhesse o ser humano em sua dignidade e particularidades próprias.

Você não precisa sair da sua casa e abandonar sua família e trabalho para ser monge eremita, um Hesicasta da OHB, você só precisa ouvir o chamado...

Se você tem vocação para a vida religiosa a OHB te espera e valorizará sua caminhada. Nos procure através do e-mail: contato@igrejacelta.org

Nossos Hesicastérios 

Nossos hesicastas, sacerdote ou não, e seus hesicastérios estão em vários estados brasileiros, recolhidos ao silêncio e a oração continua, como determina este carisma de vida religiosa, por isto evitamos colocar e expor o nome dos nossos irmãos e suas respectivas capelas e oratórios.

Com este nosso "estilo" de vida religiosa na ortodoxia com espiritualidade celta, marcamos nosso território dentro da múltipla e rica manifestação do Espírito Santo. É graças a esta riqueza que o Cristianismo proporciona um acolhimento Universal e único.

Hesychast Order of Brazil (OHB)

The Hesychast Vocation

Português


In the Celtic Orthodox Catholic Church we have the Hesychast Order of Brazil, formed by hermit monks and nuns who unite hesychast spirituality and that one of the first hermits (love of silence, continuous prayer and meditation) to Celtic spirituality (valorization of nature, monastic life, celibate or Family life).


What is Hesychasm?


Hesicasm is a current of Orthodox Christian spirituality, whose story begins with the desert monks of Egypt and Gaza. The name Hesychasm comes from the Greek hesychia which means: calm, peace, tranquility, absence of concern.

Hesychasm can be defined as a spiritual system of contemplative orientation that seeks the perfection (deification) of man in union with God through the incessant prayer of the heart. In a document of the monastery of Iviron of Mount Athos, one reads this definition: "The hesychast is he who only speaks with God alone and prays without ceasing."



The hesychast monks, through the invocation of the Name of Jesus and the attention of the heart, sought the mastery of passions and all evil thinking to remain in the soft rest of God listening to His silent word. One of them said:

"We, small and weak, have nothing left but to take refuge in the Name of Jesus."

The holy monks established the formula of the Prayer of the Name of Jesus. They united the profession of Apostolic faith: "Lord Jesus Christ, the Son of the Living God" (Mathew 16:16, Phil. 2: 9-11), with the supplication of the publican and the humble of the Gospel: "My God, have pity on me, sinner! " (Luke 18:13, 39; Mathew 15:22). Formulating thus, the Classical Invocation of the Name:


"Lord Jesus Christ, Son of the living God, have mercy on me, sinner!"

In addition to this classic formula of invoking the Name, there are several ways to pray to the name of Jesus. Many monks prayed and suggested the simplest form: "JE-SUS", that's all. For there is no need for additions: "The Holy Name is prayer." And this one sacred word facilitates the union of prayer with breathing. The holy desert monks desirous of unceasing communion and intimacy with God united the invocation of the Name of Jesus with the command to "pray without ceasing" (Luke 21:36, 1 Thessalonians 5:17, Eph 6:18, Lk 18: 1; 4: 8), and for this, in the second century, Saint Pachomius, disciple of St. Anthony, inspired by God created the prayer cord, a rosary of 100 beads, called the Komboskini (Greek), chotki by the Byzantine liturgy.


This is in an outward form a prayer to the second person of the Trinity ... but the other two people are also present, although they are not named. For when we speak of Jesus as 'the Son of God' we point to the Father; and the Spirit is also included in our prayer, since 'no one can say Lord Jesus except the Holy Spirit (1 Corinthians 12: 3). The prayer of Jesus is not only centered on Christ, but is trinitarian. "


"The constant remembrance of God through the continuous repetition of the Name of Jesus united to the breathing and attention in the heart, seeking to live in his presence and renouncing evil, are the bases of the hesychast prayer or the Prayer of the Heart."


Hesychasm was established in the monastery of Sinai, with St. John Climacus. A top exponent is surely Simeon, the new Theologian. It was to be reborn on Mount Athos in the fourteenth century.


The great masters of the Hesychast prayer, who created the method and above all the theology of the Hesychast prayer, can be found between the 13th and 14th centuries on Mount Athos. Let us recall here a few names: Gregory the Sinaite (+1346), from the Mount Sinai Monastery, he carried the "prayer of the heart" to Mount Athos. Nicephorus, the Hesychast, from Calabrian origin, converted to Orthodoxy and became a monk on Mount Athos. He wrote a short treatise entitled "On the Custody of the Heart," which became a classic of Hesychast prayer. From the fourteenth century we have an anonymous treatise called "Method of Holy Prayer," which is sometimes attributed to St. Simeon, the New Theologian, but it is not true that this work is from him. Teolepto, Metropolitan of Philadelphia (1250-1345), that formed whole generations of hesychasts monks. Gregory Palamas (1296-1359), who is considered the greatest theologian and great defender of Hesychasm.



Who are Hesychast Order of Brazil?

Our model of monastic and eremitical life is centered on oratories and chapels of every monk in his home, city or country. It is an eremitical lifestyle of the 21st century, we work, we have family, we use our habit in prayer and in the celebrations of the Divine Eucharist. Each house of our brothers and sisters is like the cell of a great monastery. United by prayer, silence and charity, spread throughout Brazil, practicing the "Prayer of the Heart" with our prayer strings (Komboskini).


Most of our monks and nuns are religious, who have had other experiences in monasteries, convents, congregations and fraternities, but have not been adapted to their lifestyles, often not respected in their personality, sexual orientation and many other factors, but did not give up seeking an Order that would welcome the human being in his own dignity and peculiarities.


You do not need to leave your home and abandon your family and work to be a hermit monk, an hesychast on our Order, you just need to hear the call ...



If you have a vocation for religious life, the Hesychast Order of Brazil will be waiting for you and will value your journey. Search for us by the e-mail: contato@igrejacelta.org



Our Hesychasteries

Our hesychasts, priest or not, and their hesychasteries are in several Brazilian states, collected in silence and continuous prayer, as determined by this charism of religious life, so we avoid placing and exposing the name of our brothers and their respective chapels and oratories.


With  our "style" of religious life in orthodoxy with Celtic spirituality, we mark our territory within the manifold and rich manifestation of the Holy Spirit. It is thanks to this wealth that Christianity provides a universal and unique welcome.

Brasão da Ordem Hesicasta do Brasil

Ordem Hesicasta do Brasil


Os dois Báculos simbolizam que a direção espiritual da Ordem está sob um Abade e Bispo  (Dom Bernardo da Ressureição, OHB), ou seja, a Ordem nasceu protegida sob dois báculos! Pelo costume, são irmãos que se reúnem, e propõem a um Bispo o acolhimento de uma congregação, fraternidade ou Ordem, no caso da OHB o próprio Bispo é fundador e monge!

No centro do escudo encontramos a cruz ortodoxa ao lado dos símbolos também da eternidade de Cristo: o Alfa (princípio) e o Ômega (fim). Ele está no início e no fim dos tempos... está na eternidade! E a OHB será o Sol, a luz, a chama do Cristo que não se apaga (Eu sou a Luz...) com o lema máximo: "Caridade e Fé!"


Coat of Arms of The Hesychast Order of Brazil



The two Staves symbolize that the spiritual direction of the Order is under an Abbot and Bishop (Bishop Bernardo da Resurreição, OHB), that is, the Order was born protected under two staves! By custom, they are brothers who come together, and propose to a Bishop the reception of a congregation, fraternity or Order, in our case the Bishop himself is founder and monk!


In the center of the shield we find the orthodox cross next to the symbols of the eternity of Christ: the Alpha (principle) and the Omega (end). He is in the beginning and the end of time ... he is in eternity! And our Order will be the Sun, the light, the flame of Christ that does not go out (I am the Light ...) with the motto: "Charity and Faith!"

Ordem Hesicasta do Brasil
Ordem Hesicasta do Brasil

Contato

Utilize o formulário abaixo para falar conosco.
CAPTCHA